O EMPREENDEDORISMO FEMININO APÓS DESEMPREGO

O empreendedorismo feminino é cada vez mais reconhecido na sociedade. Apesar da crise financeira que assolou o Brasil, as...

Angela Designer - 14 de setembro de 2022
O EMPREENDEDORISMO FEMININO APÓS DESEMPREGO



O empreendedorismo feminino é cada vez mais reconhecido na sociedade.
Apesar da crise financeira que assolou o Brasil, as mulheres estão encontrando cada vez mais formas de empreender e conquistar seu espaço
no mercado de trabalho.

No entanto, o empreendedorismo feminino ainda enfrenta grandes desafios, especialmente quando as mulheres são vítimas de desemprego.

Segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), após sofrer com o desemprego, as mulheres abandonam o
empreendedorismo em razão da insegurança financeira.

A pesquisa apontou ainda que as mulheres costumam ter menor capital disponível para investir e que elas têm menos acesso a informações e a redes de contatos.

 

FALTA EDUCAÇÃO DE EMPREENDEDORISMO

Uma pesquisa realizada pelo grupo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), mostra que um dos motivos para o empreendedorismo ser menos frequente entre as mulheres está na negociação com bancos: boa parte delas sente “vergonha” em solicitar empréstimos, fato que ocupa um dos primeiros passos no começo do próprio negócio. Não concordo com esta pesquisa!!!

Nunca ensinaram uma Mulher fazer um projeto para apresentar ao Banco! Além do que, somente os “amigos do pistolão”, possuíam o direito de utilizar dinheiro do BNDES!

Além disso, percebo que nunca ensinaram nas escolas brasileiras, como empreender. As mulheres saem das universidades sem saber como ganhar dinheiro. E o que dizer sobre investimentos?

 

TER UM NEGÓCIO PROPRIO FOI A SOLUÇÃO

Ter o próprio negócio foi uma das possibilidades de trabalho que milhares de brasileiras encontraram durante a pandemia para conter a crise econômica. No meio do desespero, do terrorismo das mídias, ainda tivemos que lidar com a falta de dinheiro!
Muitas vezes desempregadas ou precisando aumentar a renda, a alternativa foi começar do zero em um empreendimento próprio, o que gerou bons resultados em um ano tão atípico.  A maioria começou a vender aquilo que sabia fazer bem em casa: cozinhar, costurar, maquiar…

 

CONSCIENCIA DE BUSCAR CONHECIMENTO E CAPACITAÇÃO

No entanto, apesar dos desafios, o empreendedorismo feminino apresenta muitas vantagens.

Em primeiro lugar, as mulheres estão conquistando seu espaço no mercado de trabalho. Elas estão mostrando que são capazes de
empreender e de gerar empregos.

Estão compreendendo que precisam se reciclar, e investir em conhecimentos.
Portanto, se você quer ser uma empreendedora de sucesso, invista em você mesma e se capacite. Leia livros sobre empreendedorismo, assista a palestras e participe de cursos.

Se esforce, pois o empreendedorismo por necessidade, devido ao desemprego, é a melhor forma de alcançar o sucesso, porque a “necessidade faz o sapo pular”.

Em segundo lugar, o empreendedorismo feminino ajuda a reduzir a desigualdade social. Segundo a ONU, se todas as mulheres no mundo
estivessem empregadas, a pobreza diminuiria em até metade (os homens também, né? Parece mais que obvia esta afirmação)

O empreendedorismo é, em resumo, a arte de buscar a oferta de soluções para problemas de um determinado público. A grande maioria das
empreendedoras busca isso por meio do seu próprio negócio. Porém, quando falamos em empreendedorismo por causa do desemprego, as etapas para a criação de um negócio segue em pauta, mas a falta de dinheiro, muitas vezes para as necessidades básicas, acelera um processo que, seria em tese, inadmissível em tempos normais.
Pois o cenário ideal é que um negócio seja elaborado, planejado, depois de muitas pesquisas, mas em momentos como o atual, a necessidade acaba por falar mais alto, e talvez, até mesmo por isso, nasceram tantos e tão prósperos negócios dirigidos por mãos femininas.

Portanto, apesar dos desafios, o empreendedorismo feminino é uma excelente oportunidade para as mulheres se destacarem no mercado de
trabalho.
Boa sorte com as Bênçãos de D-us.

Cordialmente,
Angela Camolese Nespoli
Designer de Interiores e Home Stager